Como diminuir o turnover de jovens talentos na sua empresa

Share RH

Share RH,

Publicado dia 20/05/2021

Você sabia que um alto índice de turnover é reconhecido como um dos grandes obstáculos para a manutenção da produtividade, preservação da imagem perante o mercado e controle financeiro das empresas?

Afinal, uma frequente rotatividade entre os colaboradores, muitas vezes motivada pela insatisfação com o ambiente no quão estão inseridos, além de gerar custos com novas admissões e demissões, impede a continuidade e integração de uma equipe. 

Para trazer mais complexidade a este cenário, os últimos anos foram marcados pela chegada das gerações Y e Z ao mercado de trabalho – o que inclui jovens que apresentam um comportamento mais ansioso, imediatista e exigente, e que demandam a motivação constante. 

Consequentemente, a novidade trouxe novos desafios aos profissionais de RH das empresas, que precisaram se reinventar para desenvolver estratégias capazes de ampliar a retenção deste perfil profissional.  

Com base no contexto acima, o post de hoje vem para tratar justamente deste assunto e apresentar um universo de possibilidades aos profissionais de RH que querem garantir um baixo índice de turnover em suas empresas, bem como a formação de um time mais engajado e produtivo. 

As principais causas do turnover entre os jovens

Para começar, é necessário esclarecermos qual o perfil profissional desses dois grupos. 

Os jovens da geração Y, que inclui os nascidos entre os anos 1980 e 1995, caracterizam-se por serem inconformados diante do comum e, por esse motivo, estão sempre à procura de novas oportunidades e desafios. Tal entusiasmo, inclusive, favorece o desejo por empreender. 

Impulsionados pela facilidade no acesso à informação, eles tendem a serem imediatistas e capazes de acumular inúmeras funções.

Enquanto isso, a geração Z, que compreende os nascidos a partir de 1995, pode ser definida pela impaciência. A gana por otimizar processos os tornam profissionais práticos. Em contrapartida, rotinas maçantes e a necessidade de cumprir extensas burocracias durante o dia a dia podem gerar desmotivação.

Além disso, vale ressaltar a importância dada pelos “Zs”para a diversidade dentro do ambiente corporativo. Atuar em uma empresa que valoriza a multiplicidade de gêneros e culturas são amplamente valorizados pelos jovens desta geração. 

A partir dessa breve explicação, podemos agora identificar de que maneira os traços da personalidade apresentados pelas gerações Y e Z, impactam diretamente na tomada de decisão dos jovens sobre continuar ou não na mesma empresa.

 

Veja só quais são os cinco principais motivos para o turnover entre este grupo:

 

  • Rotina

 

Uma das características em comum das gerações Y e Z é a necessidade de se manterem em constante evolução. 

Para eles, realizar repetidamente as mesmas funções durante a semana costuma causar o sentimento de desgaste e estagnação – sensações condenáveis para aqueles que primam por alcançar o sucesso profissional com rapidez.

 

  • Falta de plano de carreira

 

Por falar no anseio pelo rápido desenvolvimento de carreira dos jovens talentos, estar em uma empresa que não lhes apresenta, com clareza, as perspectivas de desenvolvimento, corresponde a uma das principais causas para desmotivá-los.

A falta de um plano de carreira representa o desconhecimento sobre novas oportunidades e serve como pretexto para incentivar o colaborador destas gerações a se lançar novamente no mercado de trabalho.

 

  • Ausência de diálogo

 

A construção de um bom relacionamento entre as hierarquias existentes em uma companhia significa transparência na execução das atividades. 

Para um jovem que nasceu e vive em um ambiente digital marcado pela facilidade no acesso à informação, não há nada pior do que a existência de falhas na comunicação entre os setores da empresa.

Além do que, um diálogo omisso ou ineficiente pode ser encarado pelos novos talentos como falta de confiança no projeto em que está inserido.

 

  • Clima organizacional

 

Outro fator que contribui para uma alta taxa de turnover é um clima organizacional ruim. As pessoas das gerações Y e Z estão acostumadas a construírem relações interpessoais com facilidade. Afinal, são da “era das redes sociais”. 

Sendo assim, esses jovens desejam se sentir acolhidos desde o primeiro dia de trabalho. Ou seja, esse é praticamente um pré-requisito para que seus relacionamentos possam ser criados com tranquilidade. 

 

  • Remuneração e benefícios 

 

Para manter os profissionais das gerações Y e Z motivados, uma remuneração condizente com o perfil do empregado, aliada a uma boa cartela de benefícios, é fundamental. 

Afinal, o desejo pelo sucesso na carreira escolhida não está restrito apenas a atingir o sentimento de satisfação profissional e dever cumprido. Mas também, de acompanhar a evolução do salário e das recompensas alcançadas.

Como é possível então reduzir o turnover?

Agora que já definimos o perfil dos jovens que estão no mercado de trabalho e quais as principais causas para o turnover entre eles, vamos apresentar as principais estratégias para a retenção desses talentos. Vamos lá?

 

  • Propor um plano de carreira

 

Apresentar as oportunidades de crescimento dentro da própria empresa é uma boa prática de retenção.  

De maneira geral, muitos funcionários acreditam ser necessário mudar de empresa para conseguir evoluir profissionalmente, quando não há um plano de carreira bem definido. Entre os jovens então, nem se fala. 

Detalhar o caminho a ser percorrido e demonstrar como é possível atingir determinados objetivos, estabelece uma relação de confiança entre empregador e empregado.

Tal estratégia é fundamental para controlar o imediatismo e a impaciência, características intrínsecas às gerações Y e Z.

 

  • Política de bonificação

 

Assim como um plano de carreira bem definido, é importante traçar um planejamento a respeito da remuneração e dos benefícios a serem recebidos pelos colaboradores durante sua trajetória na empresa.

Nesse sentido, é válido apostar em uma política de bonificação por metas, por exemplo. Trata-se de uma forma de incorporar ao salário um motivo a mais para manter os jovens das gerações Y e Z focados e motivados. Afinal, eles saberão que a recompensa virá a partir de seu próprio desempenho.

 

  • Construção de diálogo eficiente

 

Outra ferramenta primordial para diminuir o turnover, principalmente entre os jovens, é manter um diálogo direto e frequente com eles. 

Demonstrar a importância desses novos talentos para as atividades da companhia significa mantê-los conectados com a ideologia da empresa.

Para isso, um método interessante é sempre oferecer um feedback a respeito das tarefas realizadas por esses profissionais. Seja ele positivo ou negativo. 

No segundo caso, indique os caminhos de aprendizado para que as falhas não se repitam, mas não deixe de exaltar as qualidades.

Lembre-se: a geração Y e Z gosta de ser desafiada ao passo que se sente acolhida!

 

  • Valorização do ambiente de trabalho

 

Ter orgulho da cultura da empresa em que atua e se sentir confortável para a construção de laços com os colegas de trabalho representam motivações diárias para os jovens se manterem nas empresas. 

Deste modo, incentive a integração entre os setores, promova eventos corporativos e realize ações dentro da companhia que estejam conectadas com o universo da geração deles. Isso gera valor de pertencimento!

Como você viu até aqui, existem diversas práticas que podem diminuir as altas taxas de turnover entre os jovens. 

E sabe por que isso é tão importante?

É simples: um colaborador comprometido e motivado é sinônimo de sucesso para o desenvolvimento de um negócio. Além do mais, a manutenção do capital intelectual garante engajamento, produtividade e economia para as empresas.

Se você se interessou por esse conteúdo e gostaria de se aprofundar ainda no assunto, participe do nosso Webinar de Como diminuir o turnover de jovens talentos na sua empresa. As inscrições podem ser feitas clicando aqui

Deixe o seu comentário e conte-nos o que achou deste artigo