Como planejar a estruturação de RH da sua empresa em 2021

Share RH

Share RH,

Publicado dia 29/01/2021

Quem trabalha na área de Recursos Humanos (RH) bem sabe que são muitas as responsabilidades do setor: atrair e recrutar novos colaboradores, melhorar o clima organizacional, ajudar a implementar a cultura da empresa junto aos colaboradores, preparar os líderes para se relacionarem com suas equipes e muito mais.

Para além desta lista, os gestores de RH desempenham um papel importante no sucesso das pessoas que compõem a empresa e é justamente por isso que contar com uma gestão de pessoas estruturada é tão importante para que o desempenho da companhia, como um todo, seja positivo.  

Mas vale lembrar, é claro, que estruturar a estratégia de gestão de pessoas não é uma responsabilidade que passa apenas pelas mãos dos profissionais de RH. Para que seja bem sucedida, é imprescindível que ela seja trabalhada junto aos líderes.

Agora que você chegou até aqui, que tal aprender um pouco mais sobre a estruturação de RH?

Abra o seu bloco de notas ou pegue caneta e papel, pois na sequência daremos algumas dicas preciosas para que você, gestor de RH, possa começar 2021 aplicando as melhores práticas do mercado em seu departamento.

Estruturação do RH: por onde começar?

Uma coisa é fato: a estratégia de pessoas é fundamental para a estratégia de negócios das organizações. É por esse motivo que o RH deve sempre pautar suas ações tendo em mente os objetivos e metas que a empresa espera alcançar.

Para que isso seja possível, no entanto, é importante saber estruturar a gestão de pessoas. Se você ainda tem dúvidas de como começar a fazê-lo, conheça as três etapas que são consideradas fundamentais para uma boa estruturação:

  1. Estratégia

Você já deve ter ouvido falar que, conforme o mundo foi mudando, o RH passou a desempenhar um papel cada vez mais estratégico dentro das organizações, né?

O RH estratégico é aquele que atua em conjunto com as outras áreas da empresa, sendo parte importante do planejamento e dos objetivos que ela deseja atingir.

Logo, nesta primeira etapa a tarefa é a seguinte: criar ações baseadas em um plano que está alinhado com os objetivos gerais da empresa.

Um bom ponto de partida é começar se fazendo a seguinte pergunta: o que a empresa na qual você atua deseja alcançar a curto, médio e longo prazos?

A partir de então, é importante que você tenha em mãos dados relacionados à gestão de pessoas, para que, a partir deles, seja possível trabalhar melhorias e orientar as ações do RH.

  1. Planejamento

Assim que você entender qual a melhor forma de atuar de acordo com o que a empresa espera atingir no futuro, é chegada a hora de planejar quais ações serão necessárias para que o RH atinja os resultados esperados.

Nesta fase, uma das dicas mais importantes que podemos dar é a seguinte: sempre faça um planejamento consciente, que leve em consideração os recursos disponíveis naquele momento, afinal, dar um passo maior que a perna pode gerar frustração.

  1. Execução

Assim que a estratégia e o planejamento estiverem OK, é a vez de colocar a mão na massa.

Para que o plano seja executado da melhor forma, é fundamental que você crie metas. É a partir delas que você desenvolverá o trabalho, tendo sempre em mente o lugar em que deseja chegar.

Vale lembrar que a melhor forma de saber se você está sendo bem sucedido é quantificar os resultados e avaliá-los, para que seja possível recalcular a rota quando necessário. Falaremos mais sobre este ponto a seguir.

A importância do diagnóstico de RH

Analisar os próprios processos a fim de identificar o que deu certo e o que precisa ser aperfeiçoado é um dos grandes desafios do gestor de RH. Com tantas tarefas a serem executadas no dia a dia, muitas vezes a parte do diagnóstico acaba sendo deixada de lado.

Mas sabe por que isso não pode acontecer?

A fase do diagnóstico pode poupar muito tempo e capital humano. Sem ela, é muito provável que você acabe gastando energia para aperfeiçoar processos que não são tão críticos quanto outros, que demandaria mais atenção.

Para auxiliar você nesta jornada, listaremos abaixo algumas das melhores práticas para o correto diagnóstico da área. Vamos lá?

  •         Pesquisas gerais: a realização de pesquisas de clima organizacional ou de pulso, que incluam perguntas relacionadas a toda a estratégia de gestão de pessoas, é um primeiro passo importante para que o RH tenha uma visão mais ampla sobre o assunto.
  •         Grupos focais: montar grupos de conversa junto aos colaboradores, com o objetivo de ouvir a percepção deles sobre o tema também é uma prática indicada. Aproveite esse momento para perguntar o que pode ser feito para que a empresa seja um bom lugar para trabalhar e o que deveria mudar.
  •         Avaliação da jornada já existente: se já existem processos em sua empresa, que tal mensurar a satisfação das pessoas com relação a eles? Todos os materiais e sistemas usados pelos funcionários também podem e devem passar por uma análise do RH.

De olho nos dados

Se você possui algum modelo de avaliação na sua empresa, é importante lembrar que os dados coletados podem te ajudar na missão de chegar a um diagnóstico, porque mostram a performance das pessoas por meio da avaliação das competências comportamentais e das metas atingidas. Com isso, é possível ter um cenário do ciclo de desenvolvimento do time e, por exemplo, mapear as necessidades de investimento.

Aliás, não dá para falar sobre coleta de dados, sem falar de tecnologia. Atualmente, existem diversas ferramentas tecnológicas que, fazendo uso da inteligência artificial, podem auxiliar você na análise dos dados obtidos. Além de reduzir a mão de obra necessária, o uso de softwares de RH facilita a tomada de decisão e pode ajudar a compor um diagnóstico mais preciso.

Como você viu até aqui, planejar a estruturação do RH não é nenhuma missão impossível. Se você deseja se aprofundar ainda mais no assunto, clique aqui e inscreva-se para o Webinar que faremos sobre o tema. 

 

Deixe o seu comentário e conte-nos o que achou deste artigo